19 de março de 2013

Rodrigo e seu violão

                    Rodrigo estava sério como sempre. Seus colegas de trabalho já conhecia o seu jeito, era rara as vezes que abria um sorriso sincero. E conversar então... Não era sempre que conseguiam, mas quando acontecia era notável como ele era um cara interessante.
            As moças do escritório faziam de tudo para chamar sua atenção. Isso há um ano, quando ele acabara de entrar na empresa de Marketing Show. Como virão que nada do que faziam chamava a atenção daquele charmoso jovem, então começaram a tratar apenas como um cara normal. E para o espanto delas isso realmente deu certo. Quando menos esperavam ele abria um sorriso deixando-as de pernas bambas.
            Rodrigo chegou em casa e tomou uma rápida ducha.
Tinha apenas uma hora para chegar até a lanchonete que tocava toda Sexta-feira.
            Encarou-se no espelho. Era a hora de fazer a barba.
Parte do seu trabalho era manter-se sempre impecável em todos os sentidos.
Mas, para facilitar a sua vida a genético deu um leve empurrãozinho, ou seja, não precisava de muito esforço para ficar atraente.
Sua pele morena se contrastava com aqueles belos pares de olhos azuis. Não tinha quem não repara-se em Rodrigo. Os cabelos levemente ondulados davam um charme ainda maior, no entanto, o porte físico era o que a mulherada via de longe... Bom, mas é melhor não entrar em muitos detalhes, acho que deu para perceber que Rodrigo chamava muito a atenção.
            A lanchonete estava cheia como sempre. Rodrigo começou a dedilhar calmamente verificando a afinação. Era perfeccionista quando trabalhava.
Estava tudo perfeito, como gostava.
Continuou a dedilhar não se importante com as pessoas que o observavam.
Fechou os olhos tranquilamente embalado por aquelas notas tão lindas e sinceras que vinham do seu próprio coração.
Isso sempre acontecia na Sexta-feira. A semana poderia ter sido horrível, poderia estar exausto, mas aquele momento era sagrado para ele. Nada mais importava. Era apenas ele e o seu violão, seu único fiel amigo.
O tempo passa e tudo pode mudar
Eu acredito...
Por que não quero mais
O teu coração
Não quero mais sentir
O que tanto me destruiu...

            As pessoas sentiam cada palavra que Rodrigo cantava, era como se todo tivessem vivido aquilo. Cada palavra, cada frase, cada melodia ele cantava com força e coragem.
Todos sempre o aplaudiam de pé no fim da sua apresentação.
Era era um cantor de sucesso na cidade, mas ninguém sabia o motivo de tudo aquilo,
a dor que guardava em seu coração... E a música era apenas um desabafo e sua indignação.
            Sábado havia outra apresentação, dessa vez era no Clube Vion.
Já era da casa fazia alguns meses e pelo menos duas vezes por mês tocava ali.
_ Oi Rodrigo! Quer companhia hoje? – Roberta, a garçonete perguntou como sempre fazia, dando em cima dele. Não aceitava não como resposta, por isso sempre insistia.
Rodrigo deu aquele sorriso irresistível fazendo-a se aproximar ainda mais dele.
_ Hoje não.
Ela o encarou seriamente _ O que uma garota precisa fazer para ficar com você?
Não me querer já é um bom começo”, pensou ele abanando a cabeça achando graça da insistência da garçonete.
Poderia ter dito “Não desista”! Mas, não era o seu tipo de garota.
Era linda e atraente, no entanto, isso só não bastava. A decisão não era sua e sim do pulsar do seu coração. E isso foi o que o levou a ficar daquele jeito.
Como odiava o momento que decidiu ir adiante com aquilo que ele mesmo temia...




           


7 comentários:

Denise Beliato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise Beliato disse...

Rodrigo parece ser um cara apaixonande, mas o que será que o deixa tão triste e reservado?

Rita Gomes disse...

Rodrigo me deixou curiosa, o que ele tanto teme?
O próximo é o seu capítulo, não é Denise Beliato? Anciosa!
E parabéns Joice, amei o primeiro capítulo!

Vinícius Cannone disse...

Um bom começo, traçando o perfil do personagem com boa dose de mistério

Vinícius Cannone disse...

Um bom começo traçando o perfil do personagem com um toque bem dosado mistério

Vinícius Cannone disse...

Um bom começo traçando o perfil do personagem com um toque bem dosado mistério

Vinícius Cannone disse...

Um bom começo traçando o perfil do personagem com um toque bem dosado mistério

 renata massa